quinta-feira, 13 de setembro de 2012

AMAR COMO SE COMTEMPLA UM PÔR-DO-SOL

                                                                                                             Por Izabel Goveia


Agora eram outras sensações, acordar ao seu lado fazia parte da sua rotina.
Ele estava para ela como o sol está para o dia.
Era os raios que invadiam as frestas das suas horas matinais, clareava suas pálpebras semicerradas e sonolentas.
O amor estava para ela assim como a flor está para o jardim, e o beija-flor está para flor.
No seu coração existia aquele sentimento pulsando, como uma vida que nascia dentro dela, e ele quando distante permanecia ainda mais na sua memória.
Quando perto, suas mãos se entrelaçavam com ímã, rio e mar se encontrando na constância dos dias.
Ele era concha, ela era pérola.
Ele era o olhar, ela era paisagem.
Ela era poesia, ele musica.
As notas se perdiam nas palavras, as palavras perdiam o sentido para encontrar outros.
Amá-lo era pássaro voando sem direção, só pelo encanto de voar.
O que ela sentia era sempre como um horizonte de cores indecisas de fim de tarde, eterno.
Teve um tempo que ela era noite, e ele a presenteou com a lua acompanhada de estrelas.
O amor se define em ânsia.
Ânsia pelo corpo, ânsia pela alma, ânsia pelo eterno.
Ele já era tudo isso.

5 comentários:

  1. Maravilhoso!
    Cada Poema, cada linha, você se supera!
    Lindo texto.
    parabêns minha Deusa!

    ResponderExcluir
  2. Lindo, Amei. Gosto muito de poesia. Meus preferidos são os poetas que fazem emoções brotarem em mim no instante da leitura. Você é minha poetisa!
    Beijo,
    Parabéns pelo belo trabalho.

    ResponderExcluir
  3. Maravilhoso! Parabéns pelo blog!
    Adorei!

    ResponderExcluir